zona de conforto

Se você não sair da sua zona de conforto nunca aprenderá nada

Pode parecer um clichê da psicologia motivacional dos anos 80, mas a zona de conforto é real.

Provavelmente você está ou já passou por ela. E eu sei como permanecer em um ambiente confortável e familiar é realmente agradável.

Segundo o LifeHacker, a zona de conforto é “um espaço comportamental onde suas atividades e comportamentos encontram uma rotina que minimiza o estresse e o risco”. Um grande reforço para a famosa frase que afirma que “somos criaturas de hábitos”.

Mas a verdade é que permanecer estático é pouco produtivo para o seu futuro profissional e pessoal. Enquanto o conforto do hábito nos mantém seguros, um pouco de estresse saudável é indispensável para evoluirmos e aprendermos. E esse é o mantra desse texto: se você não sair da sua zona de conforto, nunca aprenderá nada.

Se manter em um ambiente familiar (seja profissional ou pessoal) resulta em performances regulares — nada revolucionário ou fora da curva. Mas para gestores e empreendedores que desejam dar um passo além, este não é o cenário ideal. É preciso encontrar tarefas novas e desafiadoras que vão estimular o crescimento da sua performance e de seu aprendizado.

Mas, afinal, qual o benefício de deixar nossa zona de conforto para trás?

Por que você permanece na sua zona de conforto

É muito simples: seres humanos são criaturas de conforto. Sempre prezamos por lugares onde o estresse e a ansiedade são mínimos. Obviamente, esse status quo é válido, e foi normativo por muitos anos.

Mas o mercado mudou. E você precisa mudar com ele.

Quando nos colocamos em situações levemente desconfortáveis (ou não habituais) atingimos objetivos que antes considerávamos impossíveis. Ganhamos confiança, aprendemos e criamos uma nova meta a ser alcançada.

A zona de conforto não é algo bom ou ruim. É apenas… Neutro. Mas existe um mundo novo lá fora que você precisa conhecer se deseja alcançar grandes objetivos. Você não precisa se forçar a ser super produtivo e inovador o tempo todo, nem abandonar a sua zona de conforto para sempre. O segredo é saber quando jogar cada uma dessas cartas.

Voltar para a nossa “zona” é relativamente simples. Mas…

O que você ganha saindo da sua zona de conforto?

Provavelmente você já percebeu que toda a ideia de ter uma “zona de conforto” está relacionada à estresse e ansiedade. A “ansiedade ótima” é um estado onde nossa produtividade mental e performance atinge o seu pico. Mas isso não significa que você deve parar por aí.

Incentivo para atingir seu potencial máximo

O conforto mata a produtividade. Sem o desconforto de prazos e expectativas, temos a tendência de fazer o mínimo necessário, simplesmente para terminar uma tarefa. Perdemos o estímulo para aprender coisas novas e realizar mais.

Sair da sua zona de conforto é um grande incentivo para o seu crescimento pessoal. Por que? Porque existe o risco de falhar miseravelmente. Um estudo de psicólogos descobriu que quando nos desafiamos, temos a tendência de executar tarefas com a nossa capacidade máxima. Quebramos barreiras pessoais, encontramos maneiras inteligentes de trabalhar e adquirimos aprendizados em grande escala.

Você explora a sua criatividade

Encontrar formas inteligentes de trabalhar é o que motivou o crescimento de muitas das grandes startups atuais. O PayPal queria mudar a forma como as transações financeiras eram feitas, o Google queria mudar a forma como as pessoas realizavam buscas na internet.

Nenhum desses fundadores investiu na sua ideia sem enfrentar riscos: o risco de ter suas ideias rejeitadas, de compartilhar seu trabalho até àquele ponto. Quando saímos da nossa zona de conforto e enfrentamos novos desafios, somos forçados a pensar diferente, refletir sobre antigas ideias e validá-las novamente, ter novas experiências e aprender com elas.

Em um estudo de 2012, pesquisadores da Universidade da Flórida descobriram que alunos com experiências internacionais têm resultados superiores em testes de criatividade, quando comparados a alunos que não tiveram essas experiências. A abertura a novas situações se mostrou um catalisador do aprendizado e do crescimento pessoal.

Familiaridade com situações adversas

Em um artigo para o The New York Times, o pesquisador da Universidade de Houston Brené Brown, explica que um dos piores comportamentos que podemos ter é fingir que medo e incerteza não existem. Aprender está intimamente relacionado com falhar e enfrentar situações que não dominamos.

Ao encararmos riscos de maneira controlada e nos desafiarmos a fazer coisas que não fazemos normalmente, enfrentamos esses medos e incertezas, aprendendo e crescendo com a experiência.

Aprender a viver fora da nossa zona de conforto de maneira inteligente e consciente é uma forma de se preparar para situações adversas que possam aparecer no seu dia a dia.

Como sair da sua zona de conforto (e aprender mais)

É pouco provável que você consiga mudar a sua rotina abruptamente. Afinal, somos criaturas fiéis a ela. Mas é possível sair da sua zona de conforto aos poucos, otimizando o aprendizado no processo.

Comece com pequenas mudanças. Pegue uma rota diferente para o trabalho, vá a um novo restaurante, seja vegetariano por uma semana. Use um Android por uma semana, ou tente se acostumar ao sistema do Mac.

Da mesma forma, descubra o que funciona para você. Ninguém é obrigado a fazer algo somente porque outros também fazem. Teste aquilo que funciona para você e mantenha na sua nova rotina. Caminhar para o trabalho melhora sua produtividade? Ótimo! Mudar de sistema operacional atrapalha sua produtividade? Sem problemas.

Junto de cada mudança vem o aprendizado. Sempre que alteramos algo no nosso dia a dia, ou na forma que lidamos com situações, aprendemos alguma coisa. Para entender o quê (e por que), reflita sobre cada aspecto do que mudou, e o que você aprendeu com isso. Esse aprendizado pode vir de todo e qualquer lugar.

Sair da zona de conforto está intimamente ligado a atacar medos e apreensões: experimente fazer isso! Fale mais em público, converse com desconhecidos, prepare uma apresentação para toda a empresa, convide um desconhecido para jantar.

Por fim, não pense demais. Não problematize uma decisão somente porque você não está acostumado a tomá-la. Mergulhe de cabeça em um novo desafio, descubra se ele funciona para você e aprenda com as suas experiências.

Nossa zona de conforto é o ambiente em que controlamos nosso estresse e o risco que estamos correndo. Aprender em um ambiente tão monótono é uma tarefa praticamente impossível. Precisamos de novas experiências para entender e enxergar o mundo com outros olhos. Procure fazer pequenos experimentos de mudança na sua rotina, até que isso se torne uma atividade regular. Aprenda com essas mudanças e aplique no seu dia a dia. Se você sentir que está forçando demais, volte à sua zona de conforto e experimente novamente em um novo dia.

Livros Recomendados

Receba um email mensal com recomendação dos melhores livros que li.


Não vamos te enviar spam Powered by ConvertKit

Edmar Ferreira é Co-Fundador e CEO da Rock Content, líder em Marketing de Conteúdo no Brasil, e é membro ativo do SanPedroValley, comunidade auto-gerenciada de startups de Belo Horizonte.

Site Footer